Arrentina!

(viagem em novembro de 2017)

Buenos Aires é como eu queria que fosse. E mais. A nossa localização foi muito, muito boa, contribuiu imenso para a experiência na cidade ser uma delícia. Ficamos na Avenida Las Heras entre Ayacucho e Junín.

No primeiro dia, livraria El Ateneo (voltei outras vezes) e empanadas, claro. No mesmo local, também provamos o sorrentino. O restaurante foi o La Querência.

 

Ficamos apaixonadinhos pela comida de uma rede (Croque Monsieur Café) e por um lugarzinho perto de casa que vendia massa e molho ou o prato pronto. Não tinha lugar pra sentar, só podia levar, mas tudo muito gostoso e fresco.

Seguindo as dicas dazamigas, no mercado de San Telmo, em uma das portinhas externas, uma das melhores refeições da viagem. Supersimples, com sorte você pega o banquinho, mas que sanduba delícia:

 

Outra refeição maravilhosa foi feita no La Cabrera (aliás, refeições). Comida farta, gostosa, atendimento excelente (quando fomos tinha promoção de 40% no happy hour, por isso ficou acessível, caso contrário seria bem caro).

Passeios que foram sucesso: pangolar pelo centro, incluindo o Obelisco, Plaza de Mayo, Calle Florida; Jardim Japonês;  visita à Casa Rosada (não esquecer de agendar antecipadamente ou não consegue entrar); Café Tortoni (sou um clichê ambulante, me deixa); uma ópera no Teatro Colon (incrível); piquenique nas praças/jardins; visitas a museus (Museu Nacional de Belas Artes, Museu del Bicentenario, Palais de Glace); a feira de San Telo (super envolvente e divertida); o Caminito (as pessoas não falam bem, eu adorei).

Sete dias, sete maravilhosos dias. Uma cidade pra fazer muita coisa, qualquer coisa, fazer nada.