Matera

Uma das imagens que me marcou e permanece em mim (embora nem lembre mais onde li) foi a idéia de Roma. Uma cidade sobre uma cidade sobre uma cidade, sobre uma cidade, etc. Que coisa incrível, acho eu, a insistência da humanidade em ser. E, em cada escombro, as existências únicas e irrepetíveis. Cada vida. Cada pessoa que comeu, bebeu, suou, trepou talvez, sofreu, ansiou. Ardeu. Cada. Únicos. Nós.

Por outro lado, Matera (sim, o pensamento desliza). Que nem disfarça com escombros, vai se reinventando do neolítico até hoje, casas nas grutas, nas pedras, onde dá, a vida persistente em ser.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s